A toque de caixa

Direto da Fonte

18 de dezembro de 2012 | 12h34

Alberto Toron, que defende João Paulo Cunha no julgamento do mensalão, acaba de protocolar petição no Supremo — pedindo que a discussão sobre a prisão imediata dos réus entre em pauta amanhã, na última sessão do STF neste ano. “Matéria de tanta relevância pode e deve ser objeto de deliberação pelo plenário”, alega, no documento.

Márcio Thomaz Bastos, advogado de José Roberto Salgado, tomará medida idêntica. “Isso foi pedido no começo do julgamento pelo procurador-geral da República, é uma decisão muito importante para ser tomada no recesso”, declarou à coluna.

O objetivo dos advogados é fazer com que todos os ministros analisem o caso — e não apenas o presidente, Joaquim Barbosa, durante o recesso.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.