A rotina pesada do Ministro da Saúde em tempos de coronavírus

A rotina pesada do Ministro da Saúde em tempos de coronavírus

Sonia Racy

22 de março de 2020 | 00h41

Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta -Foto: Dida Sampaio/Estadão

Luiz Henrique Mandetta tem avisado a quem insiste: só vai fazer o teste da covid-19 se apresentar sintomas, como febre. Em casa, todos são médicos – ele, a mulher e o seu pai, que mora em Campo Grande, no MS. Terezinha, que é endocrinologista, vai e volta todo dia para o Hospital de Referência do DF. Vê mais o marido pela TV, em tempos de pandemia.

O ministro da Saúde, ortopedista pediátrico, tem dormido cerca de quatro horas por dia.
Antes do quadro no Brasil se agravar, só viajava de avião de carreira. “Gosto de estar com gente”, diz a assessores e amigos, quando perguntam: “Por que não usar um avião da FAB?”.

Para 2021

Chico Buarque aceitou participar, ano que vem, das comemorações pelo centenário de nascimento de Dorival Caymmi. Até lá, deve ficar em casa, sem participar de outros eventos. Não só por causa do corona vírus.

Também em consequência do novo romance que está escrevendo.

Mais um

Além do Corinthians, o São Paulo também está sendo sondado pela Prefeitura para receber um hospital de campanha para pacientes com coronavírus de baixa complexidade.

Corrente do bem

Bruna Lombardi tem usado as redes sociais e o seu Clube Felicidade online para contribuir no apoio às pessoas em tempos de confinamento. Faz enquetes no Instagram, alertas contra fake news e está enviando livros do clube. “Nada de pânico. No lugar de desespero, ações”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.