A guerra do clima

Sonia Racy

01 de novembro de 2015 | 01h18

Alckmin bateu o martelo: vai estar na cúpula do clima de Paris, em dezembro, levando um Protocolo Climático para chamar de seu. “É que o plano de redução de emissões que Dilma apresentará no encontro faz promessas, mas não explica como elas serão cumpridas”, avisa José Goldemberg.
Daí o documento paulista. “É em SP que está a maioria das indústrias. Ou se faz a redução dos poluentes aqui ou ela não terá grande impacto”, avisa o presidente da Fapesp, que viajará com Alckmin.
A guerra 2
O que diz o protocolo? Que as grandes empresas devem definir suas metas de redução e a Fapesp lhes garante assessoria e técnicos para a missão. Já aderiram grupos como Votorantim, Unilever, Carrefour, Apas e Abimaq.

Tendências: