À flor da pele

Sonia Racy

06 de dezembro de 2015 | 01h30

Foto: Iara Morselli

Foto: Iara Morselli

A mulher do cônsul-geral da França no Brasil, Alexandra Loras, virou hit na internet. Um vídeo com trecho de uma entrevista que deu a Jô Soares, no qual falava sobre cotas raciais, teve milhares de visualizações.

A consulesa comemora a repercussão. Para ela, o Brasil – onde mora há três anos – está mais aberto a discutir política e temas sociais. “Quero assumir, também no cargo diplomático, a minha posição sobre as cotas e a discriminação”, diz, relatando que já foi vítima de racismo: “Quando escuto que não existe racismo do Brasil fico chocada, porque é mentira. Tem reação com a cor da pele, sim. Sou negra, sou da elite e já passei por muitas situações de preconceito”.

Recuperar a autoestima dos negros é também o objetivo de Alexandra no livro Gênios da Humanidade, que está escrevendo em parceria com o historiador Carlos Eduardo Machado, a ser lançado no ano que vem. “Meu objetivo é trazer luz sobre o desafio da falta da representatividade dos negros”, conclui ela.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.