Para Haddad, ‘a festa paulistana melhorou’

Para Haddad, ‘a festa paulistana melhorou’

Sonia Racy

07 de fevereiro de 2016 | 01h48

Silvana Garzaro

Silvana Garzaro

 Neste carnaval, a coluna fez as mesmas perguntas para três prefeitos de capitais — o primeiro foi ACM Neto — sobre como montaram o “carnaval da crise” e como veem a organização da festa. Fernando Haddad, segundo da lista, avisa: a festa paulistana está melhor que a de 2015. Ele só não quis responder qual fantasia usaria.
Como a queda na arrecadação e a situação econômica do País afetaram o carnaval da cidade? 
São Paulo se reencontrou com o carnaval, e a opinião geral, atestada por pesquisas de campo, é de que está melhor que no ano passado. O carnaval da cidade está crescendo com organização e planejamento. Foram investidos R$ 10,5 milhões em infraestrutura para o carnaval de rua. Com apoio de dois patrocinadores, os recursos aumentaram 60% em relação a 2015. O número de blocos aumentou 35% neste ano, chegando a 355. A Prefeitura também ajuda a fortalecer o carnaval das escolas de samba, que geram mais de 10 mil empregos e movimentam milhões só em gastos de turistas e visitantes.
Qual foi, para você, o carnaval inesquecível? E por quê?
O carnaval de 1986, quando comecei a namorar a Estela.
Há risco de o funk e o sertanejo tomarem conta do carnaval no lugar do samba e do axé? 
Uma das principais características dessa festa é a diversidade de pessoas e de ritmos, então há espaço
para que todos brinquem o carnaval ouvindo o gênero musical de sua preferência.
Onde acha que vai passar o próximo carnaval? 
Vou passar em São Paulo. / MARINA GAMA CUBAS?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.