A caixa-forte de J-Lo

Sonia Racy

20 de fevereiro de 2012 | 23h00

Jennifer Lopez passou menos de duas horas no camarote da Brahma, anteontem, na Sapucaí. Zás-trás, falou aos jornalistas sobre o quanto o Brasil é lindo, que fará shows por aqui em breve e que… não bebe cerveja – fez a campanha, porque tem a ver com carnaval e alegria. Encerrou a coletiva sem responder à última pergunta, sobre as vantagens de se ter um namorado mais jovem.

Na frisa para ver o desfile, dançou e foi alertada por seu assessor sobre um possível excesso de exposição. “O que, então, eu deveria estar fazendo aqui?”. Seguiu profissional e simpática, mas deixou no vácuo celebridades brasileiras, como Luciana Gimenez – que esperou, sem sucesso, duas horas para falar com ela. “Se rolar, rolou. É carnaval. Não sou fã dela, porque não nasci para ser fã de ninguém, só dos meus filhos”, finalizou.

Deborah Secco, a um metro de J-Lo, ensaiava, com uma produtora, o diálogo que pretendia ter com a popstar: “Eu chego e falo o quê? ‘I am your big fan?’”. Mas o papo não aconteceu. Com o marido, Roger, comentou: “Ela é pequenininha, né?”.
Depois que a americana partiu, restaram saudades e fotos. Correu entre a alta cúpula do camarote um flagra do “cofrinho” da cantora, que fora traída por sua calça vermelha de cintura baixa. Aliás, o poderoso autor da foto fez questão de frisar: “Cofrinho, não, gente. É uma caixa-forte de primeira”.

“Sou feio, mas tô na moda”

Que J-Lo, que nada! O camarote da Brahma pegou fogo mesmo quando Michel Teló chegou de surpresa, já passava das duas da manhã. A empresa mandou jatinho buscá-lo em Vinhedo (SP), depois de show na Festa da Uva. E o cantor deu até uma canja. Teló está de mudança para SP, onde “a logística é melhor”. Acaba de comprar sua “humilde residência”, um dúplex no Brooklin. E contou que só agora contratará guarda-costas. “Minha segurança sempre foi Deus.”

Depois de posar para 12 fotos seguidas com moças – lindas, diga-se –, a coluna quis saber se ele achava ter ficado mais bonito depois da fama. Rindo, respondeu: “Tem uma música que diz: ‘Eu sou feio, mas tô na moda’. Acho (o assédio) natural. E é muito legal também ver pessoas que eu sempre admirei querendo tirar foto comigo, como o Rodrigo Santoro”. E completou: “Até a Susana Vieira virou para mim e começou a dançar Ai Se Eu te Pego!”.

Teófilo Teló, irmão e empresário, se orgulha: “Metade dos e-mails que recebo é de gente de fora pedindo show dele”. E lista: “Zurique tá sold out; Portugal tá sold out; Alemanha, mesma coisa. E não são brasileiros que compram não, viu?”. Falta um show na Itália, país que o cantor diz sonhar em conhecer.

Michel só lamentou ter chegado tarde para ver J-Lo. Perdeu a chance de mostrar o que havia ensaiado: “Delicious, delicious…” /DÉBORA BERGAMASCO

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: