A briga do Rei com o empresário morto em Paraty 

Sonia Racy

24 Janeiro 2017 | 00h23

O acidente aéreo em Paraty que tirou a vida de Carlos Filgueiras não fez Roberto Carlos mudar sua postura em relação ao empresário – que foi seu sócio na Tuama Construtora e Incorporadora, durante os anos 90.

O cantor se recusa, há tempos, a falar sobre sua associação com o empresário morto semana passada– na mesma aeronave que transportava o ministro Teori Zavascki e mais três pessoas.

A briga do Rei 2

A ideia da empresa era construir um flat que acabou se transformando no Hotel Emiliano, em São Paulo. O atrito foi tão grande tanto entre os dois que o Rei jogou a toalha e optou por sair do negócio, registrando prejuízo.

Nunca mais RC voltou a tocar no nome de Filgueiras.

Surpresa na ala feminina de Manaus…

Informação surpreendente no relatório divulgado ontem pela comissão da Câmara que visitou as prisões de Manaus e Boa Vista: não havia nada errado na ala feminina.

As celas estavam limpas, nada de superlotação, situação penal das 47 detentas em ordem.

… e tudo “normal” na ala masculina

Em compensação, estava tudo “normal” na cadeia que recebeu parte dos presos do Compaj após a primeira rebelião.

Embora ela estivesse abandonada e tenha sido arrumada às pressas para recebê-los, a comissão descobriu que, na cela destinada a um líder do PCC, já estavam à sua espera – dentro do colchão – um celular, um carregador e R$ 13 mil, segundo o relatório.