À beira dos nervos

Direto da Fonte

21 de junho de 2013 | 01h08

Ontem foi mais um dia de volatilidade cambial forte, fruto da valorização do dólar e do ajuste de portfólio de investidores externos. Coisa que não terminará tão cedo no Brasil.

A única forma disso mudar, e não completamente, seria, segundo ironiza um reconhecido administrador de fundos, “Lula pedir a sua primeira-ministra, Dilma, que veio visitá-lo em São Paulo esta semana, para trocar peças que estão atrapalhando a política econômica”.

A coisa tá feia.

Nervos 2

Entretanto, sábio empresário, dos mais ricos hoje no País, defende a permanência de Guido Mantega na Fazenda.

Não exatamente pela atual política econômica, mas por “ser ele o melhor ministro que Dilma poderia ter – considerando a forma… com que trabalha a presidente”.

Nervos 3

Ainda de fonte do mercado financeiro: “Alguém precisa avisar Dilma que país rico não é aquele em que pobre anda de carro, mas, sim, aquele onde rico anda… de transporte público de qualidade”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.