Andrea Matarazzo comenta referendo italiano sobre corte no parlamento

Sonia Racy

08 de setembro de 2020 | 00h50

Dia da Pátria ontem, momento de reflexão. Foi dado o start, na Itália, semana passada, a um amplo referendo cujo resultado decidirá alteração ou não da Constituição.

Com objetivo de “concretizar” a redução de um terço do número de parlamentares eleitos no país.

A decisão foi tomada quando da aprovação, em 2019, de projeto de lei diminuindo os atuais 630 deputados para 400; e os 315 senadores para 200. Uma vitória da coalização de direita populista reinante, batizada de 5 Estrelas. Que tem o advogado Giuseppe Conte como primeiro-ministro.

A intenção? Otimizar o parlamento e economizar.

No ver de Andrea Matarazzo – o ex-ministro já foi cotado para disputar vaga de senador na Itália, onde exerceu o cargo de embaixador do Brasil – a lei aprovada se limita ao corte do número de parlamentares e redução calculada é de somente 0,98 euro por cidadão italiano. “Algo pouco impactante”, pondera.

E mais: o atual candidato a prefeito de São Paulo acredita que se o resultado do referendo for “sim”, o corte aumentará a já enorme força dos partidos dominantes – e em especial, o da coalizão 5 Estrelas.

Fica a pergunta: cá seria como lá caso essa ideia fosse importada pelo Brasil?

Em sigilo

Tem briga grande entre investidor e produtor de cinema brasileiro. O primeiro cobra prestação de contas de um certo projeto de filme. O segundo afirma que está discutindo essas contas.
Ambos contrataram advogados para tratar da questão.

Dança…

Jair Ribeiro reuniu sócios da Casa do Saber com outro grupo de investidores, em almoço de confraternização nesse fim de semana prolongado.

Na pauta da conversa, uma nova composição societária.

Stay home

Roberta Damasceno, da loja carioca Dona Coisa, fechou parceria com o marido Paco Rodriguez e surge a e-commerce… Número 10.

Linha das peças? “Feita para este momento”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.