Efeito Brumadinho leva SP a treinar abandono de cidades

Sonia Racy

11 de agosto de 2019 | 00h50

.

BRUMADINHO, ONDE BARRAGEM DA VALE SE ROMPEU. FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADÃO

BRUMADINHO, ONDE BARRAGEM SE ROMPEU. FOTO: WILTON JUNIOR/ESTADÃO

Sinal amarelo

A tragédia de Brumadinho está deixando lições. A Defesa Civil do governo paulista já fez este ano 12 simulações de abandono de cidades em situação de emergência – e planeja outras quatro até dezembro. A próxima ação será dia 16, em Campos do Jordão, e as outras em Rio Preto, Santos e Americana.

De 2015 a 2018, a média desses treinamentos em SP foi de três por ano.

Bom apetite

O pessoal do queijo mineiro e do acarajé baiano já pode comemorar. Foi debatida em comissão do Senado – e obteve apoio geral – a inclusão da gastronomia na Lei de Incentivo à Cultura. O projeto é de Davi Alcolumbre. E vale para comidas, bebidas e técnicas regionais.

Para todos

A disputa por camisetas políticas está brava. A que mostrando caricatura de Bolsonaro com bigode de Hitler com os dizeres ‘ele não’ sai por R$ 39,00 no Mercado Livre. Outra com a frase “O Lula está preso, babaca”, é mais cara: R$ 49,00.

Sergio Moro aparece em três versões: a de Sérgio K, com “In Moro We trust” ou “Somos todos Sergio Moro”. Outra contra o ministro mostra a bandeira do Brasil caída e o aviso: “Desmoronou”.

Opera móvel

André Heller-Lopes apresentou ópera na Polônia e na Alemanha e já prepara outra ao ar livre… em Bogotá: A Raposinha Astuta, em um espaço para 20 mil pessoas. Em novembro, ele leva a Santiago seu Fausto– a opera encerra temporada hoje no Rio.

Leia mais notas da coluna:
+‘Periferias vivem uma revolução silenciosa’, diz Regina Moraes
+Luana em Portugal: ‘Rede social pra mim é piada’

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: