Prisão de Eike põe processo contra grupo árabe em ‘modo de espera’

Prisão de Eike põe processo contra grupo árabe em ‘modo de espera’

Sonia Racy

09 de agosto de 2019 | 00h40


EIKE BATISTA. FOTO ESTADÃO

Lei da selva

A prisão de Eike Batista ontem colocou no modo de espera processo jurídico contra o Mubadala. Segundo o advogado Sérgio Bermudes, o empresário considera que o grupo árabe, aproveitando a falta de liquidez do Grupo X, há sete anos, na época da derrocada, pagou preço irrisório na compra da parte do brasileiro na EBX. “Estamos levantando dados precisos”, contou ontem à coluna o advogado, que é defensor de Batista em questões civis.

Quando as ações da EBX derreteram no mercado, o Mubadala entrou executando as garantias, assim registrando lucro significativo.

Lei da selva 2

Depois disso, o Mubadala não só resolveu permanecer no Brasil como aumentou suas apostas por aqui. O fundo soberano de Abu Dhabi, especializado em empresas privadas, administra mais de… US$ 210 bilhões em ativos pelo mundo.

Lei da selva 3

Bermudes – a exemplo de outros dois advogados paulistas consultados pela coluna, especialistas em mercado financeiro – não vê razão jurídica para o novo encarceramento de Eike. “Essa história de que quem comprou papéis do grupo X foi vítima é furada, são todos especialistas”, diz o advogado.

Não deu sorte

Quem viu recentemente Eike –reconhecidamente um supersticioso –, notou que o empresário trocou o X (letra final de todas suas antigas empresas) pelo número… 3.

A quem ouvir

O conselho da Defensoria Pública de SP decidiu que um de seus temas prioritários é definir claramente quem deve ser atendido pela Ouvidoria-Geral. Por lei, a Defensoria tem como missão atender “os necessitados” – sem especificar quais. Segundo Willian Fernandes, ouvidor-geral, na maior parte das vezes o critério é meramente econômico – deixando assim muita gente sem acesso à Justiça.

A quem 2

De olho em um processo mais amplo, integrantes do colegiado – como a cineasta Tata Amaral e Américo Sampaio – vão ajudar na elaboração de proposta.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: