Procuradores aprovam menção ao papa por Raquel Dodge

Sonia Racy

19 de setembro de 2017 | 01h04

RAQUEL DODGE

RAQUEL DODGE. FOTO: ANDRÉ BORGES/ESTADÃO

Pegou bem entre procuradores, ontem em Brasília, a citação por Raquel Dodge, em sua fala, do Papa Francisco e de seu recente discurso sobre “os efeitos devastadores da corrupção”.

E também foi bem visto o elogio de Temer ao definir o MPF como tendo “as feições próprias de um poder”.

Um poder, como lembraram alguns, que o está denunciando.

Já o pedido de salva
de palmas pegou mal

Mas teve bem menos votos a ideia do presidente de, no final de sua fala, pedir uma salva de palmas para a nova PGR. A ideia foi vista, por alguns deles, como um truque para evitar vaias assim que ele acabasse.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: