Artista acusado de ato obsceno promete retorno

Artista acusado de ato obsceno promete retorno

Sonia Racy

22 Julho 2017 | 00h45

PERFORMANCE DE MAIKON KEMPINSKI

PERFORMANCE DE MAIKON KEMPINSKI. FOTO: DIVULGAÇÃO/SESC

O artista Maikon Kempinski – preso e acusado de ato obsceno durante performance no Museu da República, em Brasília – voltará ao local para terminar a apresentação. Está só esperando uma resposta do Sesc, que foi quem o contratou.

“Mesmo se não for por meio deles, voltarei sozinho”, diz o artista, que recebeu telefonema do governador Rodrigo Rollenberg pedindo desculpas.

Com a mão no bolso

A PM interrompeu o ato de Maikon alegando que atentado ao pudor: o performer estava nu dentro de bolha plástica.

Perfil

Levantamento mostrou que as mulheres somam 35% dos candidatos a um MBA fora do Brasil.

Dados do MBA Tour – feira que acontece em agosto em São Paulo – revelam que os candidatos, em média, têm 29 anos e pelo menos cinco anos de experiência no mercado.

Reto e ereto

Alta autoridade da Petrobrás passou longe de Otavio Azevedo, delator da Andrade Gutierrez, ontem, ao sair do restaurante Piselli, nos Jardins.

E não fingiu que não reconheceu o executivo da construtora.