Para jurista, relator da Lava Jato tem de ser por sorteio

Sonia Racy

25 Janeiro 2017 | 00h45

Carlos Velloso, ex-STF, estranha o “barulho jurídico” em torno da escolha do novo relator para a Lava Jato. Afirma que “a escolha é por sorteio, e tem de ser entre os quatro nomes da Segunda Turma, à qual pertencia Teori”.

No caso, Celso de Mello, Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski, “que já estão enfronhados no processo”.

Para o sorteio, segundo Velloso, o Supremo dispõe de um respeitável software (de computador) já usado em outras situações e sempre com resultados seguros. Entretanto, avisa, nada pode ser feito antes de a presidente Cármen Lúcia determine que o caminho é esse.

Montanha russa

A alta do preço do minério está fazendo com que as ações da Vale subam. Só neste ano foram 34,10%. E nos últimos 12 meses, 367%. Analistas juram que o minério caro não se sustenta.

Se forem os mesmos que previram que a Cantareira iria secar ano passado…

Tipo verde

O grupo Pequeno Cidadão – que inclui Arnaldo Antunes, Taciana Barros, Edgard Scandurra e Antonio Pinto – lançou música pedindo a criação do Parque Augusta.

Ela diz: “Parque Augusta refúgio do nosso trabalho/ vitória do verde da folha que cresce no galho/ Dentro da selva de pedra terás vida longa/ debaixo das árvores quero curtir sua sombra”.

Cidade cinza

A ONG Minha Sampa lançou ontem a mobilização “Declare Seu Amor Ao Grafitti”. E com as fotos enviadas por moradores indicando grafittis favoritos, monta e entrega hoje, a João Doria, mapa com as obras que deseja ver preservadas.

Todo ouvidos

Olin Batista, filho de Eike, está bombando na Spotify.