Jurista explica diferença entre delações vazadas

Sonia Racy

14 Dezembro 2016 | 00h20

Carlos Velloso, ex-presidente do STF, adverte para uma diferença importante entre as delações de Léo Pinheiro, da OAS – que foi divulgada e por isso anulada, em agosto – e a de Claudio Melo Filho, da Odebrecht, divulgada agora.

“Naquele primeiro caso ainda não havia sido firmado o acordo de delação”, pondera o jurista, lembrando que o sigilo imposto por lei tem de ser mantido até a  denúncia ser entregue ao juiz ou ministro do STF.

Jurista 2

Ou seja, não há semelhanças entre os casos — e quem pode decidir isso será o ministro Teori Zavascki, a quem tudo será encaminhado. Como o art. 7.º, parágrafo 3.º, da Lei do Crime Organizado