Direto do Líbano

Direto do Líbano

Sonia Racy

05 de agosto de 2016 | 00h37

Foto Sérgio Moraes/Reuters

Foto Sérgio Moraes/Reuters

Foi assistindo ao pai atirar que, aos 15 anos, Ray Bassil pegou gosto pelo tiro esportivo. E agora a libanesa, de 27 anos, chegou aonde quis: está focada em levar uma medalha para casa. “Somos apenas 8 atletas na equipe libanesa. O Líbano nunca conquistou uma medalha e é para isso que eu tenho treinado forte nesses últimos dez anos”, contou a atleta à coluna, na zona internacional da Vila Olímpica.

Além do prêmio, Ray – que começa domingo sua jornada – também está tentando incentivar as mulheres a se envolverem com o esporte: “Muitas pessoas afirmam que tiro não é coisa de mulher, mas penso o oposto. No meu esporte é necessário equilíbrio, concentração, objetividade. Acho que nós, mulheres, somos bem consistentes nisso”, diz, “E a mensagem que eu quero passar para todas as mulheres libanesas é que ninguém pode impedir você de alcançar seus objetivos. No esporte, na vida profissional, em nada.

Quanto aos problemas na Vila dos Atletas, a atiradora não pareceu incomodada “Em todo lugar é assim. Nada anormal”, observou. / MARILIA NEUSTEIN

Tudo o que sabemos sobre:

LíbanoRay Bassil

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: