Show com muito sal

Show com muito sal

Sonia Racy

02 de maio de 2015 | 01h14

Mark Kelly (Foto: Denise Andrade/Estadão)

Mark Kelly costuma dizer que já saiu da barriga da mãe segurando uma guitarra. Nascido em Manchester, Inglaterra, e vivendo na Suíça, o músico – que se apresentou no Bourbon Street esta semana – volta aos palcos brasileiros dia 14, quando toca no Audio Club, e prossegue a temporada no Rio, em BH e Porto Alegre. Fã de Chico César, o artista teve breve bate-papo com a coluna.

É verdade que ouvir música nem sempre é um hobby prazeroso para os músicos?

Sim. É que muitas vezes a música que você escuta é tão boa que dá raiva não ter composto (risos). E em outras ocasiões prestamos atenção nas coisas técnicas.

Quais suas primeiras impressões sobre o Brasil?

Olha, o que eu achei chocante foi a quantidade de sal na comida (risos). É muito! Fora isso, muita música boa, mulheres bonitas. Tudo que se diz sobre o Brasil é verdade.

Você postou em seu Facebook, um protesto sobre os índios brasileiros. Acompanha os conflitos?

Sim. Um amigo me contou sobre a situação e todas as injustiças do mundo me tocam de alguma maneira, especialmente quando envolvem as raízes de um povo. Então eu tento chamar a atenção para esse tipo de questão. /MARILIA NEUSTEIN

Tendências: