50% dos brasileiros usariam cannabis medicinal, mostra pesquisa

Sonia Racy

07 de agosto de 2021 | 00h50

Cannabis. Foto: Cesar Matos

Quase 50% dos brasileiros usariam ou recomendariam a cannabis medicinal para seus familiares, se prescrito por médicos.

Este número foi levantado em uma pesquisa feita com 800 pessoas pela Toluna Insights em parceria com a Clever Leaves.

Onda verde 2

Grande parte dos entrevistados também sabia para quais doenças a cannabis medicinal pode ser usada. 46,82% das pessoas disseram que o remédio serve para tratar espasmos musculares, tremores, convulsões e tiques nervosos.

Enquanto 40,94% responderam que poderia ser usada para tratar a ansiedade, depressão e outros problemas de saúde mental.

Onda Verde 3

Por outro lado, cerca de 30% dos brasileiros que participaram da pesquisa não têm certeza sobre os possíveis tratamentos ou não acreditam que a cannabis possa ser usada para qualquer um desses problemas de saúde.

Injustiça injusta

A Defensoria Pública de São Paulo reverteu, esta semana, a condenação de um homem sentenciado a 11 anos de prisão pela 2ª Vara Criminal de Santos, em 2011. O crime foi cometido enquanto ele… estava preso.

O caso evidencia “a fragilidade das condenações baseadas em reconhecimento por foto”, segundo o defensor Glauco Mazetto Moreira. A fotografia que usaram para reconhecimento era de sete anos antes.

Para todos

Tem pai para todos os gostos. Em levantamento do Ecad, das músicas mais tocadas nos últimos cinco anos – com a palavra pai – a icônica canção Pais e Filhos, do Legião Urbana, aparece em primeiro lugar.

O samba “Coisinha do Pai” de autoria de Luiz Carlos, Jorge Aragão e Almir Guineto, e sucesso na voz de Beth Carvalho, fica em segundo. Já na terceira posição, vem um hit sertanejo: Fé no Pai, interpretada por Lucas Lucco.

Tributo

Gilberto Dimenstein ganha concerto amanhã. A orquestra Sinfônica e o André Mehmari Trio apresentarão, no Auditório Ibirapuera, repertório inspirado no Clube da Esquina. Participa Eduardo Saron, do Itaú Cultural, convidado por Anna Penido, viúva do homenageado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.