No ar

Sonia Racy

27 de junho de 2012 | 01h03

Wagner Bittencourt, ministro da Aviação Civil, tem um dos mais espinhosos cargos da República. Mas não reclama. “Conseguimos, em um ano, licitar aeroportos, o que é um grande avanço”, observou à coluna, depois de participar, anteontem, de seminário de João Doriaem SP – onde teve 20 minutos para explicar 61 slides.

Aviação executiva? “Estamos estudando alternativas.” Aeroporto privado para este fim? “Hoje, se fizéssemos uma concessão desse tipo, o aeroporto não poderia cobrar tarifas. Está na lei.”

Novos slots em Congonhas? “Para tanto, a Anac está revendo o regime de competência e deve sair com uma solução.”

Novas concessões de lojas nos aeroportos? “Também estamos estudando.”

As concessões de Guarulhos, Viracopos e Brasília foram assinadas. Quando virão as outras? “Diferentemente do que todos estão dizendo, não temos prazo.”

Bittencourt ainda terá muuuuito trabalho pela frente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.