2018 teve recorde histórico de servidores afastados

Sonia Racy

27 de dezembro de 2018 | 01h00

No balanço do ano, em que a CGU anunciou a recuperação de R$ 7,23 bilhões para os cofre públicos, não foram devidamente destacadas outras iniciativas importantes – e menos divulgadas – do combate à corrupção.

Uma delas é o recorde histórico de servidores afastados por irregularidades: 566, de janeiro a novembro.

Outra ação de peso da Controladoria: já chega a 130 o total de órgãos federais que participam de ações de monitoramento e integridade das atividades internas.  E fora do âmbito oficial, no contato com empresas privadas, a CGU se empenha no fortalecimento do programa Empresa Pro-Ética.

Tendências: