Primeira vez: carta de intenções!

Estadão

02 de março de 2010 | 18h10

Vejo que muitos colegas começam seus blogs com suas declarações de intenção. Vou copiar a ideia. Acompanho a produção de teatro infantil nos palcos de São Paulo desde o finalzinho dos anos 80 e começo dos 90. Já se vai muito tempo. Escrevi críticas na Veja São Paulo, no Estadinho, no Caderno 2. Fui jurado de prêmios para teatro infantil, como o Mambembe, o Coca-Cola, o Panamco. Atualmente voto no APCA e no Femsa.

Em 2003, pela editora DBA, lancei um livro fininho e bem-intencionado, chamado Pecinha é a Vovozinha, do qual tirei o nome pra este blog. Juntei críticas e artigos publicados sobre o tema, mas, sobretudo, uma lista de principais pecados cometidos nos palcos das peças para crianças. Essa lista foi publicada originalmente no Caderno 2 do Estadão, do qual ainda sou editor, e ela deu o que falar, foi um grande índice de leitura…

 Volta e meia alguém me pedia de novo a lista, pois queria discutir em sala de aula, com seu grupo de teatro, em simpósios. Então ampliei um pouco e isso rendeu um livro (ainda à venda nos sites das grandes livrarias, sob encomenda), cuja ideia básica, contida no título, é uma ideia que todos os críticos dessa área, incluindo os das gerações anteriores à minha, sempre defenderam: não tratar o teatro infantil pelo diminutivo, pois isso denota um lastimável preconceito. ‘Levei hoje meu filho pra ver uma pecinha.’ Ou: ‘Filhinho, vamos ao teatrinho?’ Pois minha resposta é esta: Pecinha é a vovozinha!!!! O teatro infantil atingiu um nível de criatividade e profissionalização que está longe de ser arte menor.

Neste blog, vou continuar defendendo este princípio, vou escrever comentários e críticas sobre as peças a que assisto em São Paulo, vou procurar entrevistar artistas, reproduzir textos legais sobre o tema e dar dicas de espetáculos, debates, palestras, workshops que rolarem pelo ano. Vou procurar incluir fotos também, mas nada que pese muito no seu computador. Não é um blog exclusivo para criança ler. Mas um blog que os pais podem ler para se orientarem em qual peça levar os filhos no fim de semana. Mas nada impede que crianças alfabetizadas e jovens se interessem em seguir meus textos, pois pretendo ser sempre simples, objetivo, claro e pragmático. Um blog de ideias, mas também de serviços. E com censura livre!

 O desenho no alto deste blog é de autoria do craquíssimo Baptistão, ilustrador premiado aqui do ‘Estadão’, que também fez as ilustrações do meu livro já citado.

 Lá vou eu nesta aventura sem diminutivos. Conto com vocês.