Nossos irmãos do Japão

Estadão

01 de abril de 2010 | 18h57

urashima taro

Recupero aqui para vocês uma crítica que escrevi do espetáculo As Aventuras de Urashima Tarô, que está fazendo nova temporada. Vale a pena ver. Leiam por quê.

 Muitas manifestações artísticas – cinema, dança, teatro, artes plásticas – comemoraram recentemente o centenário da imigração japonesa no Brasil. O teatro infantil felizmente não ficou de fora desta festa importante, que celebra sobretudo a contribuição de um povo para a formação cultural de outro. As Aventuras de Urashima Tarô, de volta ao cartaz, agora no Sesc Vila Mariana, somente aos sábados, baseia-se num conto tradicional japonês sobre respeito, perseverança e confiança. E também sobre o tempo e a fugacidade da vida.

 A adaptação de Paulo Rogério Lopes, feita para a Cia. Pé no Canto encenar, flui com poesia e graça. O texto tem um tom fabular preciso, como poucos autores sabem dominar. Um pequeno pescador salva uma tartaruga apenas para que, mais adiante, a gente entenda por que as gaivotas vivem descendo ao mar. Pensa que é para se alimentar de peixes? Não só. A fábula é linda. O interesse do público não arrefece.

 Ainda que simples na execução, é encantador e bastante criativo, por exemplo, o recurso da passagem do tempo por meio de uma janela que alterna as quatro estações do ano. A direção de André Capuano também lança mão de trechos musicais ao vivo, utilização de meias máscaras e de bonecos, mas privilegia a linguagem narrativa dos contadores de história, muito provavelmente porque o diretor soube enxergar o entrosamento perfeito entre os dois atores da peça, Joaz Campos, também um dos autores da trilha, e Elder Fraga.

Sem exibicionismos ególatras, ambos se completam e jogam a favor do espetáculo. São dois atores com empatia e talento, e que funcionam muito bem como dupla, remetendo a outras célebres dobradinhas artísticas, sobretudo as chamadas ‘duplas caipiras’.

Mesmo nos momentos em que a platéia mirim se empolga com a simpatia cativante de ambos, Joaz Campos e Elder Fraga não se rendem às facilidades das brincadeiras interativas e seguram as rédeas de um espetáculo que opta por ser sóbrio e inteligente. Como nossos irmãos do Japão.

 “As Aventuras de Urashima Tarô”

SESC/Vila Mariana – aos sábados: 03, 10, 17 e 24 de Abril e 01 de Maio – 16h30 (Grátis!!!)