Casarão de Perdizes será nova padaria Dona Deôla

Estadão

25 Fevereiro 2012 | 18h42

O casarão antigo, que fica numa das esquinas das ruas Cardoso de Almeida e Doutor Homem de Mello, em Perdizes, está com ar de imóvel abandonado. O imóvel é tombado e tem um estacionamento nos fundos. Desocupado, sim, mas não sem dono: ele pertence à rede de padarias Dona Deôla, que pretende inaugurar uma nova unidade ali.

Construído entre as décadas de 1920 e 1930, o casarão foi comprado há quatro anos pelos proprietários da Dona Deôla. Faz dois anos que o grupo conseguiu autorização para realizar reformas no imóvel, mas ainda não tinha chegado o momento oportuno para a manobra. relata Flávio Del Nero Gomes, um dos sócios.

Será o quinto endereço da rede em São Paulo. Os outros já funcionam, 24 horas por dia, em Higienópolis, Granja Viana, Alto da Lapa e Pompeia. A unidade da Avenida Pompeia é a mais antiga e foi inaugurada em 1996. Fica na mesma esquina onde a portuguesa Dona Deolinda, que dá nome à marca, fundou a padaria Do Lar em 1948. Também existem três unidades menores dentro de hospitais da cidade.

O projeto da nova padaria ainda não está totalmente definido. “Ainda temos três ou quatro alternativas, mas estamos decidindo com calma”, diz Gomes, que promete um anúncio oficial do empreendimento no próximo mês. Uma das possibilidades de reforma é restaurar o casarão e, na parte de trás do terreno, fazer uma construção moderna. “Aí, seria criado um contraste entre o antigo e o novo”, afirma.

Mesmo tombado, o casarão não tem muitas restrições de uso. De acordo com Gomes, a preservação difere em cada cômodo do imóvel. “Na cozinha, por exemplo, posso fazer o que quiser”, garante. “Esta casa já acomodou pessoas, o que quer dizer que é possível instalar fornos, desde que respeitemos a estrutura do local”. Gomes não revela a quantia de dinheiro que será investida na empreitada, mas garante que será alta. “Queremos fazer algo original, que mude o conceito das padarias pelos próximos 15 anos”, diz o empresário.

Nas proximidades do casarão, já existem duas grandes padarias: a Nova Charmosa, na Doutor Homem de Mello, e a Santa Marcela, na Cardoso de Almeida. Nos dois locais, ninguém sabia dos planos da Dona Deôla. “É bom ter concorrência”, diz Arlindo Ribeiro, gerente da Nova Charmosa. “Mas a proposta deles é diferente da nossa, e não acho que perderemos clientes”.

(Com colaboração de Míriam Castro)