Um dia na casa do Big Brother

Cristina Padiglione

05 Janeiro 2007 | 03h11

Estive hoje na casa do Big Brother Brasil e só não me comportei exatamente como um deles porque outras ambições, que não o exibicionismo por 1 milhão, me movem. Mas foi divertido, não posso negar. Éramos nove jornalistas, todos interessados em reportar aos nossos jornais as novidades desta sétima (*) edição, em entrevistas com Boninho, o diretor, e Pedro Bial, o apresentador. Para tanto, deixamos casa, marido, filhos, celular, caneta e relógio antes de entrar na casa-cenário do Projac.

E logo nos toranaríamos amigos de infância, como acontece com os BBBs. Tudo obra da engenharia da casa, confirma Boninho. Por trás de cada espelho, um trecho de trilho por onde outras câmeras, além daquelas instaladas na casa, deslizam. Nem xixi se pode fazer à vontade. Imagina ficar 3 meses ali?

(*) obrigada aos atentos blogados pelo toque: eu havia escrito “nona” edição e estamos na sétima. Estava obcecada pelo número 9: 9 jornalistas, estréia no dia 9, etc.