TV Cultura abre precedente ao ocupar melhor vaga do line up na TV digital

TV Cultura abre precedente ao ocupar melhor vaga do line up na TV digital

Cristina Padiglione

22 Maio 2015 | 16h08

Aquele que chegar primeiro senta na janelinha: é mais ou menos essa a regra (ou a falta dela) que tem determinado a escolha dos próprios canais para o espectro que cada um ocupará na TV digital. Enquanto a Globo passa a operar num canal virtual de número 5.1 em São Paulo, respeitando o número 5 de sua presença no line up analógico, a Record também prepara sua entrada para o 7.1 e o SBT, para o 4.1.

Mas, se é vantagem para os canais de maior audiência que o público os encontre logo ali, na vizinhança de seus números convencionais, quem não tem muito a perder prefere se valer do espaço livre para escolher frequências mais movimentadas.

É o caso da TV Cultura, que sempre foi canal 2 e acaba de mudar sua opção digital do 2.1 para o canal 6, que era vago, o que a coloca entre os dois canais de maior audiência do line up digital em São Paulo. Pela transmissão digital, quem zapear entre Globo e Record terá de passar pela TV pública estadual paulista. Já a TV Brasil, ligada ao governo federal, continua no 63.1, onde muita gente já desiste antes de chegar.

Vendo o caso da Cultura, outros canais menos favorecidos pelo line up começam a se movimentar, o que já incomoda quem antes se avizinhava das sintonias mais vistas. A TVT, TV dos Trabalhadores, se ocupou do canal 8.

Os novos números são virtuais e servem para preparar o País para o fim do sistema analógico – as emissoras estarão operando em dois números, até que o Brasil seja 100% digital. Esses números não valem para quem tem TV paga, na qual cada operadora determina a ordem das emissoras.

Assombrações
F
oto: Renato Rocha Miranda/Divulgação

Marina Ruy Barbosa dispensou dublê para se sujar de terra na cena em que sua Malvina é desenterrada em ‘Amorteamo’, hoje. Só o rosto e o colo mereceram farelo de biscoito de chocolate em vez de terra. O cemitério da série foi construído num estúdio de 1 mil m2.

…………………………………………………………………………………………………

 

José Luiz Datena foi sondado novamente por um partido político para se candidatar à prefeitura de São Paulo. E disse “não”.

A Endemol Brasil é o destino mais cotado para Juliana Algañaraz, que deixou a produtora no ano passado para ser CEO do Porta dos Fundos – parceria rompida por falta de sintonia. Deverá se ocupar de América Latina.

15 pontos foi a audiência da Globo com Sport Recife X Santos em São Paulo – 10 pontos a menos que a média do futebol da emissora nas noites de quarta em 2015.

Já a Fox Sports chegou a ultrapassar a Globo, entre quem tem TV paga, durante alguns minutos de Cruzeiro X São Paulo, na quarta-feira da semana passada, entre 19h30 e 21h45. Na plateia masculina de 18 a 49 anos, a audiência média foi de 3,77 pontos, com pico de 6,51 (na cobrança de pênaltis).

Born Free, documentário produzido pela Cinegroup, está em negociação com o canal Curta! O filme aborda jovens que votaram pela primeira vez em 2014 e nasceram após o apartheid, na África do Sul.