Série sem Capitão Nascimento não honraria “Tropa”

Série sem Capitão Nascimento não honraria “Tropa”

Cristina Padiglione

26 de abril de 2008 | 11h15

Como acontece em 90% das vezes em que um enredo inspira projeto para série ou seriado de TV, a idéia de criar um derivado do filme “Tropa de Elite” não vingou.
Depois de negociar com Globo e Record, optando pela proposta da primeira, o cineasta José Padilha agradeceu muito pelo interesse, mas preferiu ficar onde está.
Seja lá o que quer que tenha emperrado o projeto a essa altura, um item já causava apreensão em relação à possível série: Capitão Nascimento tinha pedido para sair. E sem Capitão Nascimento, com todos os aplausos merecidos por André Ramiro e Caio Junqueira, não há Tropa de Elite.
Assim que o título faturou o Urso de Ouro em Berlim, prêmio que veio pavimentar as exaustivas defesas de Padilha, Wagner Moura e grande elenco sobre o caráter do filme, o ator tinha dito que não queria mais mexer com o Capitão Nascimento. Sua ausência na série que não haverá, portanto, era ponto certo.
E, sem ele em cena, ainda que fosse em funções “burocráticas” do Bope, melhor seria mesmo não colocar a Tropa em risco.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.