Três finais para o fim de ‘A Regra do Jogo’. E ‘Cauã’ não morre

Três finais para o fim de ‘A Regra do Jogo’. E ‘Cauã’ não morre

Cristina Padiglione

11 de março de 2016 | 12h09

Tony

Susana Vieira já nos fez o favor de adiantar, pelo programa Mais Você desta sexta, com Ana Maria Braga, que aquela “coisinha rica do Cauã” não morre na novela A Regra do Jogo, que termina nesta sexta mesmo, dia 11. Imagine se o autor João Emanuel Carneiro faria uma coisa dessas?

O episódio de quinta, dia 10, penúltimo de mais um enredo ousado do escritor, se encerra com Zé Maria (Tony Ramos) oferecendo a Romero (Alexandre Nero) a chance de matar Juliano (Cauã Reymond). É uma sequência de tirar o fôlego. O rapaz pede ao pai que o mate, ou então ele irá atrás dele até no inferno. Zé Maria diz que não tem coragem, entrega o revólver a Romero e lhe oferece a chance de ouro. Muito ódio desse Zé Maria. Minutos antes, ele recebe o dinheiro pedido pelo sequestro de Cesário (Johnny Massaro) e, mesmo assim, ordena que o matem. Para nosso alívio, o bom rapaz consegue fugir.

Um parêntese: Caramba! Quem disse que Tony Ramos não podia fazer papel de malvado porque o público rejeitaria? Ele não só é mau muito mau, como continua fazendo propaganda fora da ficção. Haja credibilidade, seu Tony!

No Mais Você, Susana também adiantou que Merlô (Juliano Cazarré) fica com Alisson (Letícia Lima) e Ninfa (Roberta Rodrigues).

Não é só para o público que A Regra do Jogo termina nesta sexta, dia 11. Motivados principalmente pelo suspense em torno de quem matou Gibson (José de Abreu), a diretora Amora Mautner e João Emanuel criaram um esquema digno de operação policial – de uma polícia mais eficiente que a turma do Dante (Marco Pigossi), tomara. Para parte do elenco, o expediente também está se encerrando nesta data, a poucas horas da exibição do derradeiro capítulo.

O episódio desta quinta bateu novo recorde da novela, com 40 pontos de média na Grande São Paulo, onde cada ponto equivale a 69,4 mil domicílios.

Três finais foram escritos para despistar os detetives de novelas, profissionais de revistas de sites que pagam para “traficar” capítulos que chegam à Central Globo de Produção, no Projac. Cada ator recebeu apenas a parte que lhe cabe nessas cenas.  “Somente eu, João e o editor da novela sabemos como ela termina. Nem o elenco, a equipe e os diretores têm essa informação”, assegura Amora.

Além do assassino de Gibson, paira também grande dúvida sobre os destinos de Romero, Atena (Giovanna Antonelli) e Zé Maria.

 

FOTO: CAIUÁ FRANCO/DIVULGAÇÃO