Telefonica busca conteúdo em produtoras independentes

Cristina Padiglione

12 de março de 2011 | 14h15

Ainda que a PLC 116, projeto que tramita em Brasília para regulamentar a TV paga, preveja a separação clara entre produtores e operadores de TV, a Telefônica, que atua como operadora, mantém um pé na distribuição de conteúdo e busca aproximação com esse nicho do mercado.
No último dia 28, a empresa promoveu, em sua sede em São Paulo, um workshop ao pessoal da ABPI-TV, Associação Brasileira de Produtoras Independentes de TV, para apresentar um “serviço inovador de vídeo” no País.
Procurada por esta colunista, a Telefônica informou que o evento foi “uma ação para identificar novas fontes de conteúdo para os seus serviços de vídeo sob demanda, como, por exemplo, o IPTV.”

Eis aqui o texto do convite enviado pela Telefonica aos associados da ABPI:

Caros Associados,

A Associação Brasileira de Produtores Independentes e a Telefônica convidam os Associados de Televisão a participar de um workshop para apresentação de um serviço inovador de vídeo no mercado brasileiro.

A Telefônica busca conteúdo nacional para seu novo produto e acreditamos que esta é uma grande oportunidade para a realização de novos negócios entre os produtores brasileiros e a empresa. O interesse abrange diversos formatos e gêneros,
como longas, séries, animação, conteúdo infantil, entre outros.

Data: 28/02/11
Local: Rua Martiniano de Carvalho, 851 -SE – Auditório – São Paulo-SP
Horário: 14h30

Por se tratar de um projeto estratégico, será necessário assinar o termo de confidencialidade anexo e entregá-lo na entrada do evento.

Questinoei a comunicação da Telefônica se tal busca de conteúdo não configuraria à empresa um papel de produtora de conteúdo, visto que aquele que paga a conta de uma produção tem direito a créditos como “coprodutor”.
A empresa assegura que não, de jeito nenhum, em hipótese alguma isso há de ocorrer, e complementa:
“Os produtos de TV da Telefônica, sejam a Telefônica TV Digital (TV por assinatura) ou o IPTV (vídeo sob demanda), são produtos que apenas distribuem conteúdos preparados por programadores e produtores. A operadora não produz nem irá produzir conteúdo.”

Ah,bom.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.