Sítio do Picapau vira animação, sem o que alguns vêm como ‘resquícios escravocratas’

Cristina Padiglione

01 de novembro de 2010 | 18h45

A Globo começou a exibir hoje, no TV Globinho, o seriado teen Jonas Brothers, mas nem tudo está perdido para quem espera melhores referências infantis. Fechado há coisa de dez dias, um acordo entre a produtora Mixer e a Globo prevê para outubro de 2011 a conclusão de uma temporada de 26 episódios, de 11 minutos cada, baseada no Sítio do Picapau Amarelo.

Diretor executivo da Mixer, Tiago Mello falou ao Estado em primeira mão sobre o programa e disse que resquícios escravocratas em referências a Tia Anastácia serão eliminados na versão. A visão vem a calhar com o atual parecer do Conselho Nacional de Educação, que na semana passada se manifestou contrário à adoção do livro Caçadas de Pedrinho nas escolas por ver na obra conteúdo “racista”.
Outra mudança diz respeito ao pó de pirlimpimpim. “No original, eles aspiravam o pó e ‘viajavam’. Na versão dos anos 80, eles jogavam o pó uns sobre os outros. Ainda não decidimos como será agora”, disse Mello.
O Sítio em animação será feito com incentivo do artigo 3A, que permite que canais de TV pagos e abertos invistam parte do imposto devido pela compra de direitos internacionais na coprodução com produtores brasileiros independentes. Segundo Mello, a nova versão da obra de Monteiro Lobato tem aval da família do escritor e terá como base os livros que compõem a obra, como Reinações de Narizinho.

Tudo o que sabemos sobre:

Artigo 3ACoproduçãoGloboMixer

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: