Silvio Luiz à Bandeirantes: é hora de dar tchau

Cristina Padiglione

09 de junho de 2010 | 18h43

Há quase dois anos, quando foi dispensado da Bandeirantes, o canal aberto, Silvio Luiz já tinha acumulado alguma mágoa ao reino dos Saad. Uma semana antes de ser demitido, inaugurou uma afiliada da emissora em Tocantins, com honras de grande representante da casa, segundo testemunho in loco do próprio Johnny Saad, the president.
Uma semana depois, demitido. Como assim?, perguntava-se.
Foi mantido no BandSports, por onde, diga-se, foi “colega” de Dunga na Copa da Alemanhã, quando o atual técnico da seleção canarinho atuava como comentarista das emissoras Bandeirantes.

Agora, pouco antes de embarcar para a África do Sul, destino de boa parte dos funcionários ou colaboradores do Grupo Bandeirantes nos últios dias, comentou lá qualquer coisa no twitter sobre a verba que o canal havia lhe destinado para a viagem. Dizia que dava para comprar uma pipoca diária.

Foi cortado do embarque. E resolveu que era hora de brincar de Teletubbies. Era hora de dar tchau. Lá se foi o Silvio, que continua na RedeTV! como locutor e comentarista, mas, após várias Copas, permanece no Brasil.
Faltou senso de humor à Bandeirantes. Falta senso de humor entre os boleiros televisivos. O deboche do Silvio faz toda a diferença na narração de uma pelada.
A seguir, reproduzo o texto publicado por ele sobre sua saída da BandSports em seu blog, http://www.silvioluiz.com.br. Fiquem com o Silvio, pelo amor dos meus filhinhos.

Na vida tem que saber parar. Dar um basta em certas coisas na hora certa seja qual for o motivo.

E é exatamente isso que estou fazendo agora com relação a minha contribuição ao BANDSPORTS.

Inaugurei o canal juntamente com minha amiga Barbara Gancia. Fizemos ao vivo o primeiro programa: DOIS NA BOLA.

Aliás nesse dia – sou ruim de data – apresentamos dois, um para inaugurar e outro, aquele que seria o primeiro da série.

Criei o DEPOIS DO JOGO, o ESTÁ VALENDO e apresentava o POR DENTRO DA BOLA imaginado pelo Datena e pelo Neto, quando fui demitido da Band aberta em 2008 “por economia” – precisavam cortar 15% e sobrou para mim-.

Foi uma maneira humana de ajudar um velho profissional que de uma hora para outra viu seu tapete puxado com sérios problemas particulares.

Agradeço até hoje a esses dois amigos. Não fosse isso por certo teria pirado.

Isso sem contar que antes – ”por ter um custo beneficio muito alto”- fui dispensado por telefone por José Carlos Carboni – da Rádio Bandeirantes – .

O vice-presidente de rádio Mario Baccei – não sei porque – me procurou para uma “afinação de discurso.” – Dizer para a imprensa alguma coisa que não fosse a verdade sôbre minha demissão. Não faço e não fiz esse tipo de pactoe de “afinação.”

Como vemos minha tragetória dentro do Sistema Bandeirantes de Comunicação, não foi das mais proficuas em matéria de RESPEITO, coisa que nos tempos do saudoso e querido João Saad era a coisa que mais se preservava por aqueles lados.

Certou estou, se vivo estivesse, que coisas desse tipo não aconteceriam .

Minha mãe faleceu no dia 10 de janeiro. Somente o Bandsports me confortou com presença e flores.

Ricardo Saad, velho companheiro e amigo de modo particular me abraçou e confortou.

A “empresa” se quer comunicou internamente o acontecido, ou me confortou a respeito.

Quando no dia 28 passado, o diretor do canal Eduardo Ramos me informou que a DIREÇÃO resolvera não mais me incluir na equipe da copa, senti mais uma vez que RESPEITO é coisa que o GRUPO NÃO CONHECE.

Demitir, cortar, substituir são fatos corriqueiros em uma empresa, desde que sejam feitos com dignidade e RESPEITO.

Acredito que um profissional com alguns serviços prestados principalmente ao GRUPO, merecia um pouco mais de consideração e RESPEITO.

Estou pedindo demissão sem saber por que fui cortado, como se trabalhar na copa fosse prêmio.

Antigamente sim. Quando terminava algum evento desse tipo o GRUPO premiava seus funcionários.

Faz tempo que isso não acontece.

Não vou mais precisar pagar cem reais de estacionamento descontados em nota de serviços.

Cancei de engolir sacanagem, politicagem e traição.

Chega. Minha saúde e minha familia valem muito mais do que isso.

Agradeço a todos.

A Rosana e ao Ricardo – faz falta no Grupo – pelo carinho e compreensão.

Rosa, Maura, Fontenelli, Borges, Veron, Renatinha, Vaz, Cacá, Silvia, desculpe os que esqueci.

Aprendi, muito com os estagiários que lá chegavam com sonho do jornalismo esportivo

Espero que esses jovens não encontrem no caminho profissional os espinhos com os quais deparei exatamente no final de minha jornada profissional.

O canal segue e tenho certeza vai ter muito sucesso.

Vou torcer por isso.

Silvio Luiz

Tudo o que sabemos sobre:

BandeirantesBandsportsSilvio Luiz

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.