Série de ataques do PCC vira documentário no Discovery

Cristina Padiglione

17 de novembro de 2009 | 20h20

Vistos assim, alinhavados em única edição, com todos os lados do episódio, os fragmentos daquela série de ataques do PCC, facção criminosa nascida dentro dos presídios do Estado de São Paulo, ganham um relato com o impacto que a ocasião merece.
O distanciamento daquele maio de 2006 também conspira a favor do documentário produzido pela Mixer para o canal Discovery. Com consultoria e preciso depoimento da jornalista Fátima de Souza, autora do livro “PCC, a facção”, o programa reconstitui os tropeços da Segurança Pública na época, os desentendimentos entre seus comandantes, a fragilidade a que os policiais foram expostos, a força dos detentos e a carnificina que atingiu, por último, uma série de vítimas inocentes cujo crime foi só estar no lugar errado na hora errada.

Falam sobre os episódios os ex-secretários Nagashi Furukawa e Saulo Castro de Abreu, o ex-governador Cláudio Lembo, sobreviventes, parentes de vítimas policiais e civis, promotores e responsáveis pelo IML, em depoimentos que dão a dimensão da barbárie que justificou um toque de recolher inédito auto-imposto pelos paulistanos em plena luz do dia.

Diretor-geral do programa, Rodrigo Astiz conta que todas as reconstituições foram obra de consultoria técnica. Alguns dos profissionais que lá estavam para ensinar a figurantes como segurar as armas, como atirar para executar a vítima e como preparar tiros de festim, assumiram, eles mesmos, a condição de figurantes em determinadas sequências.

Vale ver. Para bancar o documentário, o Discovery usou fundo da Ancine, dinheiro disponível para canais pagos dispostos a investir em produção nacional.
Vai ao ar no dia 29, domingo, às 20h. Em dezembro, será mostrado pelo canal para toda a América Latina e para o Discovery em espanhol nos Estados Unidos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: