Que medo do Justus

Cristina Padiglione

28 de agosto de 2006 | 01h47

Depois de ser demitido pelo subordinado Peter Collins na edição passada daquele “O Aprendiz 3”, via TV Record, Roberto Justuso voltou à cena um tom acima.

No programa exibido na terça-feira (cujo vídeo está bombando no site da Record, www.rederecord.com.br/oaprendiz ), Justus fomentou lá um certo individualismo. Disse que não estava interessado no tal do trabalho de equipe, termo que seduz nove entre dez profissionais por aí _ do futebol ao mundinho da comunicação.

Na edição que foi ao ar agora há pouco, o demitido foi Luís Eduardo, sob o argumento de “omissão”.

E como foi crueeeeel, esse Justus.
Quem sabe prevenindo-se de mais alguém que pudesse lhe dizer “não quero mais brincar”, foi ele próprio quem se rebelou. Resultado: deixou o grupo inteiro com a cabeça na guilhotina (olhaí o trabalho em equipe). O homem foi rude como um executivo só seria entre as quatro paredes de um escritório.

Parece que Peter fez bem a Justus. Nada como um desafio.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: