Que mal teria feito a MTV aos Hermes, Renatos e Mions?

Cristina Padiglione

14 de abril de 2010 | 16h33

De tudo o que se disse sobre a estreia do “Legendários”, na Record, faltou questionar, afinal, o que explica o ódio no coração dos ex-funcionários da MTV naquele programa dito “do bem”.

Depois de João Gordo proferir em plena entrevista coletiva que a Record dispõe de estrutura, ao contrário da MTV, Hermes e Renato protagonizaram uma esquete sem gracinha em sua estreia na Record, atestando que um acidente os fez esquecer o nome artístico que os consagrou e a emissora onde trabalharam antes de pisar nas dependências de Edir Macedo.

O comandante da nau, Marcos Mion, explicou a piada e achou tudo muito engraçado.
Mion passou rapidamente pela Globo, foi para a MTV, onde agradecia ter sido salvo de sua condição anterior (ele fazia aquele seriado de Sandy e Júnior, e é justamente Júnior quem agora engata a trilha sonora das vinhetas de seu novo programa). Mion um dia deixou a MTV, se mandou para a Band e foi tentar lá um tal de “Descontrole”, que deu em nada. Pediu para voltar para a MTV e foi bem recebido. Agora, de novo, sai de cena maldizendo o passado para valorizar o presente.
É um método que mal surte efeito, ainda mais quando reincidente.

Mas, e quanto a Hermes, Renato e Gordo? Estavam já todos sabidamente contratados pela Record e, mesmo assim, a MTV os manteve no ar até o fim de seus contratos.
Não tenho procuração para devender a Music Television, longe de mim, mas, já perguntei sobre possíveis mágoas dos atuais recordistas e ex-emetevistas com a emissora anterior, e nada consegui apurar. É um roteiro que não fecha. Se alguém souber de algo, diga lá.

Tendências: