O audiovisual tá pegando. Em tudo e todos

Cristina Padiglione

26 de março de 2009 | 18h41

Agora sim.

Ano passado falamos aqui de uma série bacana que o Cao Hamburger estava preparando para o Canal Futura, batizada como “No Estranho Planeta dos Seres Audiovisuais”.

Pois o programa já tem data de estreia, anunciada para 6 de abril, às 22h30.

A proposta é uma reflexão ampla e bem-humorada sobre a relação do ser humano com a linguagem audiovisual, vocábulo que, vamos combinar, nunca foi tão democrático como hoje. Qualquer mané pode produzir seu curta, filmar do celular e jogar na web.

Segue aí uma sinopse de cada um dos 16 episódios:

* No programa especial que deu origem à série (esse já foi exibido em setembro), algumas respostas possíveis são sugeridas pelos cineastas Fernando Meirelles e Esmir Filho, pelo teórico Arlindo Machado e pelo próprio Cao. Para ajudar a responder a essas perguntas, o programa conta ainda com dois homens das cavernas, um beduíno, três espectadores comedores de pipoca e uma família iraniana.

* 2º episódio – Verdade: Através da relação entre o registro e a realidade, discutimos o conceito de verdade no audiovisual, começando em Jesus Cristo e acabando em Tropa de Elite, passando pelos irmãos Lumiere.

* 3º episódio – Realidade: Em uma espécie de continuação do episódio anterior, a discussão agora é sobre a questão da realidade instantânea no audiovisual. O “aqui e agora” através do tempo.

* 4º episódio – Ficção: O programa examina a ficção no audiovisual. A necessidade da narrativa aristotélica que sempre foi buscada e com a qual as pessoas se identificam, desde antes do cinema.

* 5º episódio – Artificiais: Finalmente um programa com dinossauros e monstros. As realidades virtuais, criadas desde o começo do cinema, de Méliès ao Senhor dos Anéis, seja com auxílio de trucagem ou de 3D.

* 6º episódio – Experimentais: Numa época de banalização da imagem, o programa inventaria aqueles que estão repensando, experimentando e reformulando a linguagem audiovisual. O audiovisual como vanguarda.

* 7º episódio – Subterrâneos: Os filmes marginais, independentes, caseiros e de fundo de quintal; feitos da maneira possível. A história que ninguém conhece sobre os filmes que ninguém viu.

* 8º episódio – Instantâneos: O programa investiga a invasão avassaladora da internet no audiovisual. A imagem no seu estado mais descartável, efêmero e acima de tudo instantâneo e espontâneo.

* 9º episódio – Populares: Este episódio trata da relação entre o público e o retorno financeiro. O pão e circo na televisão, as dificuldades do “cinemão” e a dúvida: como ganhar dinheiro com internet?

* 10º episódio – Violentos: Tratando o audiovisual como discurso da natureza humana, tratamos da curiosidade e do desejo do homem pela violência na tela.

* 11º episódio – Pornográficos: O erotismo e a pornografia no audiovisual: dos primeiros registros eróticos dos vaudevilles às mudanças que a indústria pornográfica está fazendo no comportamento sexual.

* 12º episódio – Montagem: O episódio trata da importância da montagem no audiovisual. A única ferramenta exclusiva da Sétima Arte e fundamental no processo de “esculpir o tempo”.

* 13º episódio – Sonoros: Finalmente um episódio focado só no Áudio do Visual. Um olhar sobre o som como direção narrativa, a música como linguagem, os musicais e videoclipes.

* 14º episódio – Reciclados: A saturação da produção audiovisual começa a gerar discussões sobre direitos autorais, refilmagens, e histórias que são contadas desde o tempo dos homens das cavernas.

* 15º episódio – Interativos: Investigamos o futuro do audiovisual: o videogame, a TV digital, os interativos, a narrativa construída pelo interactor. O cinema se aproxima do videogame e vice-versa.

* 16º episódio – Conclusão – Futuro Audiovisual: Este programa reúne todo o material coletado ao longo da série. Tenta responder, agora indo mais a fundo, a primeira pergunta da série: Qual é o futuro do audiovisual?

No Estranho Planeta dos Seres Audiovisuais
Estreia: 6 de abril de 2009
Horário: toda segunda, às 22h30
Reprises: quinta-feira, 16h e 21h; domingo 18h30

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.