Nudez de ontem é inadequada hoje

Nudez de ontem é inadequada hoje

Cristina Padiglione

30 de agosto de 2011 | 17h20

Sim, o blogueiro Alê Rocha já tinha cantado essa bola, mas não custa a gente botar o assunto em pauta por aqui.

A Globo reprisa a partir do dia 12 a novela Mulheres de Areia, versão de 1993, feita pela Globo, no Vale a Pena Ver de Novo.Mas recursos de imagem farão o serviço de velar, desfocar, disfarçar ou o verbo a preferir, a nudez de Mônica Carvalho na abertura do folhetim de Ivani Ribeiro.

Eis o argumento estampado pela emissora em release distribuído à imprensa:
“Tendo como base seus Princípios e Valores, a Globo resolveu adaptar a abertura para o ‘Vale a Pena Ver de Novo’, tornando menos explícitas cenas de nudez. Embora esta abertura tenha ido ao ar com a novela em 1993, a emissora avaliou que não era compatível com os padrões morais atuais do país.”

Não é divertido? Quer dizer que somos mais moralistas hoje do que ontem? Mais moralistas hoje do que há quase 20 anos? Há, evidentemente, a questão objetiva da classificação indicativa, cuja portaria, nos termos do que há hoje, com conteúdo adequado a horário e faixas etárias, não existia em 93.

Estaríamos bem próximos do que pensam os americanos, cujos filmes permitem verdadeiras chacinas, sangue pra todo lado, mas nudez, oh, mostrar alguém como veio ao mundo, em público, nem pensar.

A abertura não será reduzida, a música será a mesma, by Pepeu Gomes, mas chuviscos e recursos gráficos tratarão de esconder a perfeição de Mônica Carvaho naqueles dias.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: