Novela capricha na histeria cotidiana

Cristina Padiglione

17 de outubro de 2006 | 22h07

É de impressionar a tensão que corre nas veias dessa novela da Globo, “Páginas da Vida”. Coisas do Manoel Carlos, dirão os Cassetas (“Mulheres Desesperadas” era uma boa paródia da trupe).
Agora não é diferente. Todo dia tem alguém a arrancar os cabelos, a estourar perfumes e/ou vidrinhos contra a parede, a gritar e a espernear nessas “Páginas”. Há pouco, Natália do Valle protagonizou mais uma seqüência do gênero.

Ainda bem que esses personagens não botaram em pauta a polarização política que se desenha fora das novelas, inclusive no Leblon da vida real, onde uma petista teve seu dedo decepado a dentadas por uma tucana em pleno bar Jobi, dois dias atrás.
Deus nos livre desse enredo.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.