Dorival, personagem da semana, no ‘Esporte Fantástico’

Dorival, personagem da semana, no ‘Esporte Fantástico’

Cristina Padiglione

24 de setembro de 2010 | 19h56

Responda rápido: qual foi o assunto da semana?

Eleições à parte, com todo respeito, foi a demissão do técnico do Santos, Dorival Jr., motivada pela (não) punição à malcriação do garoto Neymar, que virou assunto em todas as rodas. Até minha mãe, alheia ao noticiário esportivo, tinha opinião sobre o caso. Justo. É coisa que sai do campo, atravessa debate sobre educação, respeito, convivência, talento, maturidade, etecetera e etecetera.

Amanhã, às 13h50, a Record leva ao ar a entrevista de Dorival a Myllena Ciribelli no Esporte Fantástico.
Diz o técnico que conversou com outros treinadores mais experientes e “ninguém nunca tinha passado por uma situação semelhante”. “Ninguém nunca tinha sido tão desrespeitado por um jogador.”
Depois de anunciar a suspensão de Neymar no jogo contra o Corinthians (e, coincidência, eu estava justamente no estúdio do Bate-Bola que Edu Elias comanda na ESPN Brasil, terça, acompanhando votação via web que dava a Dorival aval de sobra para sua decisão), Dorival diz que toda a repercussão do caso o levou a um acordo com a diretoria do clube para que o contrato fosse quebrado. “Eu também tive minha parcela de culpa em tudo isso. Por isso, minha saída do Santos foi em comum acordo. Eu não teria mais clima para continuar”, completou.

Tudo o que sabemos sobre:

ESPNEsporteRecord

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.