JN ganha seu primeiro Emmy

JN ganha seu primeiro Emmy

Cristina Padiglione

27 de setembro de 2011 | 03h04

Depois de se inscrever algumas vezes ao Emmy, enfim o Jornal Nacional arrancou da academia de TV de Nova York seu primeiro troféu.

Merecido, vamos e venhamos.

As impressionantes imagens aéreas de traficantes e companhia fugindo do Morro do Cruzeiro após a invasão da polícia no Complexo do Alemão em novembro passado foram merecedoras de um prêmio na categoria Notícia. Foi agora há pouco, em NY, e a Globo foi bem representada por William Bonner, editor-chefe e apresentador do JN, e seu big boss, Carlos Schroder. Também estavam lá, com efeito e motivo, o repórter Andre Luiz Azevedo; Ana Paula Araújo, repórter do Jornal Nacional naquela edição e apresentadora do RJTV que, no dia da invasão, permaneceu mais de sete horas no ar; os chefes de redação Carlos Jardim e Marcio Sternick; o cinegrafista Sergio Costa e o operador de câmera do Globocop Francisco de Assis, que flagrou a já antológica cena dos traficantes em fuga.

Foi a sétima vez que o JN alcançou uma vaga entre os finalistas. Seus adversários, este ano, eram da RUV Icelandic National Broadcasting Service, da Islândia; da Sky News, do Reino Unido; e da ABS-CBN, das Filipinas.

De tudo isso, fiquei mesmo impressionada foi de ver o Bonner falando em inglês com aquele vozeirão que já faz a gente torcer o pescoço para a frente da TV quando ouve o homem falar em bom português. O timbre do tio, como ele mesmo se faz chamar no Twitter, impressiona qualquer um.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: