JN, ainda em ritmo de obras

Cristina Padiglione

25 de agosto de 2009 | 20h29

Por falar em obras, sim, tem “Jornal Nacional” com cenário novo a partir da próxima segunda-feira. Sabe aquela vinheta que vem sendo martelada desde o início do ano, sob o pretexto dos 40 anos do noticiário, para apresentar as afiliadas da rede? Pois então, os 40 anos acontecem, de fato, na terça-feira, dia 1º de setembro.

A efeméride valerá o novo cenário e justifica o livro que William Bonner lança agora, já nas livrarias, para contar como é feito o principal noticiário do País. Antes que alguém me conteste, é o principal por ser o de maior abrangência, reforçando o caráter de fonte única para muitos brasileiros.

A contracapa informa que o livro tem “o objetivo de mostrar de maneira clara, mesmo para quem não seja profissional do jornalismo, como é construído, dia a dia, o telejornal de maior audiência do Brasil.”

Esqueça o “mesmo para”. O livro da vez (Ed. Globo, 244 págs.), didático ao extremo, é sobretudo para quem não é profissional do jornalismo. Para esses, o último livro sobre o JN, de cinco anos atrás, disposto a refletir sobre os episódios mais polêmicos de sua história, é bem mais interessante.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.