Globo absorve mais dois ex-‘CQC’s

Globo absorve mais dois ex-‘CQC’s

Cristina Padiglione

22 de março de 2016 | 16h03

luque1

A ida de Rafael Cortez e Marco Luque para a Globo endossa o valor do ‘CQC’, programa que ficou oito anos no ar, pela Band, e rendeu talentos para todos os lados.

Só na Globo, estão Felipe Andreolli (Encontro com Fátima Bernardes), Mônica Iozzi, aclamada no Vídeo Show e pronta para estrear nova série de Fernanda Young e Alexandre Machado, e agora Rafael Cortez, que chega para o Vídeo Show, e Marco Luque, contratado para o Altas Horas, de Serginho Groisman.

Cortez poderá circular à vontade, entre externas e bancada. Engraçadinho, sem jamais pender para algo  que fuja do gosto médio do público, há de encontrar bom espaço no programa.

Luque no Altas Horas ainda pede definições mais precisas, mas tudo aponta para a estreia de algum quadro de stand up em que ele se reveze em personagens diversos.

O CQC também gerou Danilo Gentili para o SBT, figura que passou a incomodar a audiência de Jô Soares nas noites de segunda a sexta.

E tem Rafinha Bastos, agora com duas séries engatadas no Multishow, canal Globosat. Talentoso e criativo, Rafinha até despertou interesse de um ou outro diretor da Globo, mas nem ele seria o que é num canal que busca agradar o gosto médio de público nem a Globo arriscaria enquadrá-lo nessas arestas.

Em suma, o CQC, em oito anos, como título único, produziu mais talentos para a TV brasileira do que qualquer outro programa. Claro que não vamos falar aqui da Dani Calabresa ou do Marcelo Tas, que já eram grifes antes de lá chegar.

Tudo o que sabemos sobre:

CQCMarco LuqueRafael Cortez