Esporte da Record murcha

Cristina Padiglione

03 Novembro 2006 | 02h31

O staff de esportes da Record está, com perdão do trocadilho infame, de bola murcha. O departamento se ressentiu pelo fato de a direção de programação da casa não ter tomado suas dores na hora de aceitar as regras do jogo imposto pela TV Globo para exibir as sobras do futebol da líder em sua tela. Pelo esporte da Record, claro, a sociedade entre as duas não se romperia, ou não terminaria como determinou o bispo Honorilton Gonçalves há uma semana.

A direção de programação da Record não morria de amores pelas condições da parceria, que já durava quatro anos. Na verdade, a Record era mais uma subsidiária do futebol da Globo do que uma parceira de fato. O negócio até atraía anunciantes, mas não trazia audiência para a grade da Record, forçada a exibir o mesmo jogo que a Globo aos domingos e uma partida de menor importância às quartas-feiras.

Cortes no departamento de esportes da Record são esperados para os próximos dias.

Interessada em procurar outra subsidiária de seu pacote de futebol, a fim de evitar que alguém diagnostique como monopólio o sistema de suas transmissões, a Globo já recebeu manifestações de interesse da Bandeirantes e da Sports Promotion, empresa de marketing esportivo que arrenda horário na RedeTV! para a exibição da série B.