Diretor de jornalismo é o novo chefão da Globo

Diretor de jornalismo é o novo chefão da Globo

Cristina Padiglione

19 de setembro de 2012 | 14h53

Acabou a bolsa de apostas sobre quem ocuparia a direção-geral da TV Globo, no lugar de Octávio Florisbal. A emissora acaba de distribuir comunicado para anunciar que o presidente das Organizações Globo, Roberto Irineu Marinho, empossará o atual titular da Diretoria de Jornalismo e Esportes da TV Globo, Carlos Henrique Schroder. No lugar de Schroder, ficará Ali Kamel, hoje seu subordinado direto, endossando aí uma substituição natural.

 

Florisbal passará a integrar o Conselho Administrativo das Organizações Globo, que passará por reformulação e terá seus membros definidos pela assembleia dos acionistas.

A reforma inclui ainda a ampliação da área hoje sob o comando de Willy Haas, o homem do comercial, que passará a acumular a Direção de Negócios e de Comercialização da TV Globo, “com o propósito de apoiar o desenvolvimento do modelo brasileiro de publicidade”, informa o comunicado da Globo. “Willy levará sua competência de negócios para as diversas áreas da empresa e substituirá Schroder em suas ausências.”

Ao colar Haas no trabalho do novo diretor-geral, um profissional oriundo do jornalismo e não da publicidade, Roberto Irineu sana a única ressalva que os acionistas tinham ainda em relação ao nome de Schroder: diplomático e com ampla visão da televisão como negócio e meio de informação, ele é o nome ideal para o cargo, mas não tem o mérito maior de Florisbal, que é a proximidade com o mercado de publicitários e anunciantes.

Basta dizer que como diretor-geral, Florisbal nunca teve substituto oficial.

As apostas em torno da substituição de Florisbal incluíam, além de Schroder, de fato apontado como o mais cotado nos últimos meses, o nome de Érico Magalhães, profissional da área de RH, e Luís Erlanger, diretor da Central Globo de Comunicação.

Na foto acima, o repórter fotográfico Evelson de Freitas, da Agência Estado, clicou Florisbal no terraço de sua sala, na sede paulista da Globo, em 10 de agosto passado. Na ocasião, em entrevista a esta signatária, ainda evitava falar sobre os rumos de sua aposentadoria, que vem sendo planejada há pelo menos três anos, entre ele e o patrão, Roberto Irineu.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.