Debate de pé

Cristina Padiglione

23 de agosto de 2006 | 16h33

Na contramão da Record, que cancelou os debates previstos entre candidatos à presidência e ao governo do Estado de São Paulo, o SBT mantém a data de 25 de setembro para promover um encontro entre os presidenciáveis, sob mediação de Ana Paula Padrão.
Na sede de Silvio Santos, as reuniões com representantes de partidos continuam em andamento.

Não foi meramente a marca de 4 pontos no Ibope, audiência resultada do debate realizado pela Band, que desestimulou a Record a promover debates. É bem verdade que a rede dos Saad já viu audiências bem superiores em outros embates, mas o que pesou, aos olhos da Record, foi a falta de ritmo, melhor dizendo, a falta de debate. Faltou empatia, faltou discussão de idéias e, principalmente, faltou Lula. Sem ele, a Record pensa que o encontro não vale a pena.

O mesmo diagnóstico foi traçado em relação ao debate entre os aspirantes ao governo de São Paulo, visto que, também nesse caso, o líder nas pesquisas, José Serra, não compareceria.

Além de não ter o principal candidato, a arte de convencer os nanicos a abrirem mão do programa virou um pepino. Sem benefícios, pergunta-se, de que vale o custo?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: