CQC retoma o fôlego da Bandeirantes

CQC retoma o fôlego da Bandeirantes

Cristina Padiglione

10 de março de 2009 | 19h16

O tanto que se fala de “CQC” nas nossas rodas, e por “nossas” entenda-se aí o time antenado em internet e na leitura de jornais e revistas, dá a entender que o programa tem mais audiência que novela da Globo.

Longe disso. A volta dos Homens de Preto liderados por Marcelo Tas, ontem, na Band, bateu nos 6 pontos de média, segundo o Ibope na Grande São Paulo.

Masssss, veja lá: média de 6 pontos é surpreendente no contexto em questão. Não só porque vai além dos patamares da Bandeirantes, não, mas principalmente porque os caras recebem a programação do pastor RR Soares. Pode-se dizer que 336 mil domicílios sintonizam a Band de um momento para o outro, só pra ver o humorístico.

Se você considerar que o “Jornal Nacional” é completamente contaminado pela audiência da novela das 7, para o bem ou para o mal, caramba, os 6 pontos do Tas logo depois do RR Soares são um feito e tanto. Vale como espelho de um público que sabe zapear, não está ali à espera do próximo programa e dita novos modos de se ver TV no País.

Quanto à reestreia em si, voto sinceramente na escalação do doutor Paulo, o Maluf, para o elenco fixo do humorístico. Seria mais saudável para o bom andamento do programa: ele é mais engraçado que alguns deles, topa todas as propostas e, como convidado “fácil”, acaba tornando o staff muito preguiçoso para caçar vítimas mais exigentes.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.