Contagem regressiva para o Paraíso

Cristina Padiglione

16 Fevereiro 2007 | 17h26

Beatriz Coelho Silva, vulgo Totó, conta-nos, após entrevista com Gilberto Braga, que o autor já tem quase dois meses de texto pronto para “Paraíso Tropical”, novela que substitui “Páginas da Vida” a partir de 5 de março.

Amém.

É um bom adiantamento para a Globo, e para o telespectador, que tem visto um capítulo ser dividido em dois, às vezes três dias.
No episódio de ontem, o alcoólatra Bira repassa na memória todas as cenas de prejuízo causadas pelo álcool durante toda a novela. Haja engov. Texto novo? Nenhum. Close no dependente químico, e dá-lhe flash back.

Pouco depois, Marta e Helena se confrontam enfim sobre a pequena Clara. Acabada a discussão, Regina Duarte mergulha as mãos em concha debaixo da torneira e a água contracena com a heroína da história. No áudio, pobre Helena, martela-se o diálogo da cena anterior com a megera.

Na última quarta-feira, a direção da novela redistribuiu as cenas para dar cabo da exibição até amanhã. A essa altura, planeja o que fazer nos capítulos de segunda (quando o espisódio terá metade da duração, e nunca o carnaval foi tão bem-vindo no horário da novela) e terça-feira.

Os técnicos estão à beira de um ataque de nervos: são cobrados por qualidade e recebem o texto em cima da hora. O elenco está exausto. São 15 horas à disposição das gravações para proferir uma ou outra frase – exceção feita à ex-BBB Grazi Massafera, a José Mayer (que agora, além de galinha, é também estelionatário), a Regina Duarte, a Lília Cabral e olhe lá. As coxas de Danielle Winnits (nada contra, veja bem) merecem mais espaço que Bete Mendes, Natália Timberg, Tarcísio Meira e Sônia Braga.