Boris Casoy se desculpa por comentário sobre garis

Cristina Padiglione

03 de janeiro de 2010 | 12h42

Foi na virada do ano, sob baixa audiência, que Boris Casoy proferiu seu infeliz comentário sobre a profissão de garis. Pouca gente deve ter visto ou percebido a infelicidade na hora do acontecido, mas, sendo falha de alguém que ganhou fama com o bordão “é uma vergonha!”, não tem jeito: a coisa se espalha, ainda mais na era do Youtube.
Entre tantos cidadãos comuns gravados pela produção do Jornal da Band para anunciar ali um Feliz ano novo, apareceram dois garis. Ao fim do bloco, antes que o primeiro comercial começasse e sem perceber que seu áudio ainda estava aberto ao público, Casoy disse o seguinte:
“Que merda. Dois lixeiros desejando felicidades do alto da suas vassouras. O mais baixo na escala do trabalho”.

Ao tomar conhecimento do vazamento, Casoy se retratou brevemente no dia seguinte, pedindo “profundas desculpas aos garis e aos telespectadores”.

Casoy é um sujeito bem-humorado, perito imitador, engraçado no dia a dia. Mas, mesmo quem o conhece resiste em perceber que ele estivesse fazendo ali uma brincadeira, de mau gosto, vá lá, mas brincadeira. Nem ele ousou se desculpar com tal pretexto. E a história ainda há de se espalhar mais, prenunciam os movimentos na web. Aqui mesmo neste blog, muitos já se dirigiram a um post antigo sobre Casoy para protestar.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.