“Beber a Vida” acaba hoje

“Beber a Vida” acaba hoje

Cristina Padiglione

14 de maio de 2010 | 01h53

Viver a Vida
Jean-Pierre Noher propõe mais um brinde

Alguém contou quantos copos de whisky, espumante e vinho foram enchidos ao longo da novela que encerra carreira hoje, na Globo?
Muitos.
Se o Zé Mayer está tenso? Logo ao lado tem sempre um copo e uma garrafa de whisky.
Se o Zé Mayer está triste, talvez um copo de vinho se avizinhe rapidamente.
Se o Zé Mayer, a Taís Araújo, a Alline Moraes, a Natália do Valle e seu marido banana, os gêmeos, enfim, todo o elenco, estão felizinhos, manda ver uma taça de espumante (ou champagne, como eles dizem lá).
E depois diziam que a bêbada da história era a Bárbara Paz, tadinha, que muitas vezes se contentou com uma dúzia de latinhas de cerveja, justamente a bebida de menor teor alcoólico. Quem manda não pertencer ao núcleo dos abastados?

A novela “Viver a Vida” termina com o mais baixo ibope no histórico das novelas das 9 da Globo, mas o índice de álcool, benza-deus, foi às alturas durante esses oito meses.

Tudo o que sabemos sobre:

álcoolJosé MayerViver a Vidawhisky

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: