Band estreia pronto-socorro em ritmo de entretenimento

Cristina Padiglione

01 de abril de 2009 | 20h53

Não é jornalismo, mas está longe de ser ficção.

Chamam o formato de algo como doc.reality. Que tal a nomenclatura?

O E24, produto da argentina Cuatro Cabezas, a mesma do CQC, estende suas câmeras aos hospitais do Mandaqui, ao Instituto Dante Pazzanese e a outros PSs públicos. O mote: mostrar o atendimento médico de um pronto-socorro como ele é, com a devida anuência da classe médica. Ao paciente, ou à sua família, é submetido, depois de gravado, o pacote de cenas daquele momento de fragilidade por que passam os frequentadores de um ambiente do gênero. Embora sejam flashes que qualquer ser em sã consciência desejaria esquecer, a maioria dos “filmados”, sabe-se lá por que, autoriza o desfile público de sua dor, via transmissão em rede nacional.

Antes que algum desses complexados brasileiros diga que “isso só podia ser no Brasil”, devagar com o andor: a criação é argentina e o formato tem versões no Chile, na Espanha, na Itália e na própria Argentina.

O foco do E24, avisam os produtores, é a rotina estressante dos médicos e seus feitos, nem sempre bem-sucedidos. Ah, sim, porque o programa promete não se restringir aos finais felizes e jogar no ar o sinal da cruz por eventuais óbitos.

Há quem goste. E como há.