Ao lado desses candidatos, Justus fica bem na foto

Ao lado desses candidatos, Justus fica bem na foto

Cristina Padiglione

21 de maio de 2008 | 17h23

?

Tudo bem que eu não comungue muito das regras de mundo corporativo ditadas pelo Roberto Justus naquele “Aprendiz”, mas não posso negar que foi divertido ver o “chefe” esculachar os aspirantes a sócio no programa de ontem, via Record.

O prato do dia era “prova de conhecimentos gerais”.
Entre os representantes dos dois times, nenhum sabia o nome do governador do Rio de Janeiro (uma chutou César Maia, o prefeito, o outro citou Nelson Machado, alegando que “machado” é um nome muito comum no Brasil, hoje…). Nenhum deles soube dizer de que cidade são originários os “soteropolitanos”.

Por que será que alguém com esse perfil há de se achar merecedor de um salário de R$ 2 milhões???

Quando vejo as cenas da tal sala de reuniões, com diálogos que só fazem do boss um superlíder, fico seriamente imaginando que os candidatos ali são selecionados de acordo com a capacidade de dar ao chefe a chance de ele se mostrar ainda mais super.
Só pode ser.
Mais tarde, cobrado pelo Justus, o sujeito que nunca tinha ouvido falar em Sérgio Cabral nem nos nascidos em Salvador ainda disse: “mas você precisa de um sócio, não de um mestre em conhecimentos gerais”. !!! A-do-rei! Falta de noção é tudo nessa vida.

É ou não é um roteiro feito sob medida para o Justus se sair melhor na foto?

P.S. O moço que nada sabia não foi o demitido do dia. Com argumentos indefensáveis, ele se segurou no programa. Afinal, é disso que o povo gosta, né mesmo?

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.