A série do Doutor Dráuzio e o E24 se passam no mesmo país?

Cristina Padiglione

22 de abril de 2009 | 18h05

Domingo à noite, Fantástico na tela.
Então o doutor Drauzio Varella vai até o Albert Einstein, entrevista um dos mais credenciados profissionais de saúde do País. O entrevistado admite que nem um estabelecimento como aquele está livre de tropeçar nos empecilhos que fazem ruir o sistema de transplante de órgãos no Brasil.

Aí você muda de canal, duas noites depois, e dá de cara com o tal “E-24”, na Bandeirantes. A fila de transplantes, naturalmente, não faz parte do foco do programa, pronto a enaltecer o cenário da saúde pública, não só no mesmo país que o doutor Drauzio mostrou na Globo, mas na mesma cidade.

Ah, vá, não é possível, alguém está mentindo?
Será que o Einstein pode falhar ou será que a rede pública é tudo aquilo visto no “E-24”? No programa da Band, o atendimento médico é exemplar e o cenário é impecável, com tesourinhas enfileiradas, monitores hi-tech, corredores e salas de cirurgia super-organizadas. Achei que nem diriam quais eram os hospitais ali mostrados, vai que o povo invade os estabelecimentos e os médicos ficam sem condições de atender a todos? Que nada, Hospital de Pedreiras e Dante Pazzanese ganharam repetidos closes nas placas de fachada.

Pronto, agora já posso largar meu convênio médico, já sei o que funciona e o que não funciona.

Nos créditos finais do “E-24”, agradecimentos à Secretaria de Saúde e à Secretaria de Segurança Pública (o que é muito justo, porque viaturas e bombeiros também entram em cena, sempre a postos para salvar o cidadão que se vale do serviço público).